Enxaqueca pode ser causada por alguns alimentos ou por hábitos alimentares errados

 

Você costuma ter dores de cabeça ou enxaquecas frequentes ou ocasionais? Já pensou em procurar um nutricionista funcional para ajudar no tratamento?

 

Há centenas de causas possíveis para estes males e muitas pessoas que sofrem com eles estão acostumadas a passar por diversos profissionais: neurologistas, dentistas, oftalmologistas … se nada for descoberto, fique atento. A interferência dos hábitos alimentares no aparecimento de enxaquecas e dores de cabeça é muito mais comum do que se imagina. Vou listar aqui alguns dos fatores que mais se relacionam com elas.

Hipoglicemia

Quando ficamos mais de 3 horas sem comer, falta energia para o nosso cérebro, que não tem estoque e depende do que comemos para se nutrir. Quando comemos muito ou fazemos uma refeição com muito açúcar e carboidratos refinados podemos ter pico de glicemia, seguido de uma queda rápida, que também gera falta de energia para o sistema nervoso central. Com isso,  aumenta a produção de hormônios para regular esta glicemia, que podem dar uma vasoconstrição inicial, seguida de uma vasodilatação, que gera a dor. Por conta disso, muitas pessoas que têm enxaqueca causada por casos de hipoglicemia  sentem alguns sintomas como visão turva, sensação de ouvido tampado ou sonolência, antes da dor aparecer.

 

Falta de hidratação

Quando sentimos sede já estamos em um estado de 20% de desidratação, quando falta água para o organismo como um todo, o primeiro órgão que sofre com isso é o cérebro. A água é fundamental para todo o processo de oxigenação cerebral,  Quando estamos bem hidratados, aumentamos a captação de glicose pelas células nervosas, o que também previne os casos de hipoglicemia. Além disso, a hidratação adequada é um dos principais fatores para a eficiência da eliminação de toxinas do organismo. Por isso é importante ingerirmos de 2 a 3 litros de líquidos ao dia, precisamos tomar água mesmo quando não sentimos sede. Essa quantidade também pode ser conseguida com a ajuda de água de coco e chás naturais, sem açúcar.

 

Frutas cítricas

Frutas tão populares quanto a laranja e o limão costumam ser grandes causadores de enxaqueca. Eu sinto isso na pele (na cabeça). Normalmente as pessoas que gostam muito de um deles e costuma consumi-lo com frequência ou em altas quantidades são as mais sensíveis a este efeito nocivo. Se você tem enxaquecas constantes e tem o hábito de consumir frutas cítricas, faça o teste. Retire-as da sua rotina alimentar por um mês e quando voltar a consumi-las fique muito atento às possíveis reações do seu organismo. Estes alimentos possuem algumas substâncias que provocam dores de cabeça em quem tem predisposição genética para isso, a octopamina, que excita as células nervosas, salicilatos, fenóis, histamina e inibidores de SULTA1. Além disso, os cítricos servem de alimentos para fungos, que podem desencadear casos de hipoglicemia.

 

Cafeína

A cafeína é mais relacionada às dores de cabeça quando o café é retirado da alimentação, normalmente como um sintoma de abstinência. Mas estes sintomas também podem estar ligados ao seu consumo, nesse caso, a relação de causa e efeito é menos evidente. De uma maneira geral, a cafeína não deve ser consumida em jejum (após mais de 3 horas sem comer) porque irrita as mucosas do esôfago e do estômago e altera o metabolismo da glicose, causando inicialmente uma hiperglicemia, seguida de hipoglicemia. Não é recomendado que se consuma mais do que duas xícaras pequenas ao dia. Isso porque ela também inibe a absorção de micronutrientes e/ou aumenta a excreção deles. Ela excita as células nervosas e a sua ação varia de acordo com a frequência e da quantidade ingerida por dia e por vez, dependendo da sensibilidade individual. Para algumas pessoas, uma dose já pode causar reações adversas, entre elas, dor de cabeça e enxaqueca.

 

Proteínas mal digeridas

O consumo frequente de alimentos cujas proteínas são mal digeridas por nós, como o leite de vaca, a soja e o trigo, faz com que o organismo aumente a produção de substâncias chamadas de pró-inflamatórias, que têm a função de combater esses antígenos. Porém, essas substâncias pró-inflamatórias podem excitar células nervosas, gerando dor de cabeça, naqueles que têm predisposição genética para isso. A boa notícia é que vários estudos demonstram que a retirada desses alimentos por um período e o resgate de tolerância imunológica, por meio de um tratamento com um nutricionista funcional, oferecem resultados consistentes no tratamento das enxaquecas e das dores de cabeça.

 

Disbiose intestinal,

O desequilíbrio da microbiota intestinal pode aumentar a proliferação de fungos, que por sua vez, levam a casos de hipoglicemia, e também de bactérias de potencial patogênico que liberam uma endotoxina que também estimula substâncias inflamatórias, excitatórias de células nervosas.

 

Ultraprocessados e adoçantes artificiais

Algumas substâncias presentes em boa parte dos alimentos ultraprocessados como o glutamato monossódico e a feniletilamina, presente até no chocolate, também excitam as células nervosas, assim como o aspartame, um adoçante artificial.

 

Mais uma vez, é importante ressaltar que a identificação dessas causas deve ser feita por um profissional de saúde capacitado, assim como o tratamento dos sintomas.